Quem somos

Criado em 2009, o Laboratório Herbert de Souza – Tecnologia e Cidadania (Laboratório Betinho) tem sua origem vinculada à trajetória e experiência acumulada pela Rede Nacional de Mobilização Social (COEP), que ao longo de 25 anos desenvolveu uma agenda de trabalho voltada à mobilização social e ao desenvolvimento comunitário.

O Laboratório Betinho surgiu por meio de parceria entre o COEP e o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Teve apoio da Fundação Banco do Brasil (FBB), de Furnas Centrais Elétricas S/A e do Ministério da Ciência e Tecnologia.

I. O que fazemos

O Laboratório Betinho articula desenvolvimento tecnológico e inovação social, em um processo interdisciplinar, cultural e político. Busca promover a interação entre a universidade e a comunidade, por meio da valorização e da troca de saberes tradicionais e científicos.

II. Nossos programas e mecanismos

Desenvolvimento de tecnologias sociais: Por meio do Programa Comunidades Semiárido, o Laboratório Betinho impulsiona a criação e o aperfeiçoamento de tecnologias sociais para o desenvolvimento comunitário.

O Programa Comunidades Semiárido aprimora metodologias e tecnologias sociais de desenvolvimento comunitário. Atua em cerca de 90 comunidades do Semiárido nordestino, nos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, sobretudo com jovens lideranças, nos eixos de (i) fortalecimento da organização comunitária, (ii) implantação de técnicas de produção e (iii) capacitação, direitos e cidadania.
Leia mais

Extensão Universitária: Por meio da Rede dos Saberes, o Laboratório Betinho promove o intercâmbio entre os saberes de comunidades tradicionais (especialmente do Semiárido) e os saberes acadêmicos.

A Rede dos Saberes desenvolve o intercâmbio, o compartilhamento e a geração de conhecimentos, de metodologias e de tecnologias sociais que visam o desenvolvimento socioeconômico de comunidades de baixa renda. Tem como mecanismo de comunicação os instrumentos virtuais (Web, redes sociais e aplicativo dedicado).

Por meio do Laboratório Betinho, a rede promove o encontro da cultura e dos saberes acumulados em comunidades tradicionais com os saberes científicos produzidos na universidade, acarretando um processo de registro e de troca em rede, linear e não-hierárquica, cujos nós são os detentores dos conhecimentos a serem compartilhados.

Na prática, a Rede dos Saberes tem desenvolvido ações no âmbito da Rede de Comunidades do Semiárido, formada por cerca de 90 comunidades rurais do Semiárido nordestino, nos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe; com a participação de alunos bolsistas de diferentes cursos de graduação e pós-graduação da UFRJ (caráter multidisciplinar).

São tratados temas como: técnicas de manejo agrícolas, conservação ambiental, desenvolvimento de equipamentos úteis às atividades produtivas, conhecimentos em informática e tecnologia, metodologias de mobilização e organização comunitárias.

Leia mais

Atuação Internacional: O Laboratório Betinho desenvolve parceria com universidades internacionais para a criação de metodologias e de projetos de desenvolvimento comunitário.

Desde 2001, o Laboratório Betinho busca atuar em parceria com redes de universidades internacionais para a criação de metodologias e de projetos de desenvolvimento comunitário.

Em 2013, liderou a criação Better Futures Network (BFN), uma rede de universidades com os países África do Sul, Argentina, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Guiana e Uganda, para a troca de conhecimento e desenvolvimento de estratégias de cooperação e ação conjunta entre as comunidades, universidades, instituições de pesquisa e seus parceiros.

Um dos desdobramentos dessa rede foi a criação, em 2015, de um grupo para discutir ações em Community Based Research (CBR), no qual o Laboratório participa da construção de um consórcio internacional, entre universidades e organizações da sociedade civil, para a criação de metodologias que busquem o fortalecimento e ampliação das capacidades de comunidades no desenvolvimento de pesquisas em seus territórios.

Leia mais

Capacitação: Programa de Educação à Distância do Laboratório Betinho (Minicursos)

Com o objetivo de facilitar e estimular a prática da qualificação cidadã, o Programa de Educação à Distância (EaD) do Laboratório Betinho disponibiliza minicursos online.

A plataforma já ofereceu o minicurso “Convivendo com pessoas com deficiência no ambiente de trabalho”, destinado a servidores e alunos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e realizado em parceria com as unidades da instituição: Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE), Fórum de Acessibilidade; e Agência de Inovação.

Também ofertou o minicurso “Vídeo de Bolso”, como atividade de auxílio a alunos da UFRJ em projeto acadêmico específico.

O EAD Laboratório Betinho é fruto da Rede Mobilizadores, um espaço virtual que desde 2015 promoveu atividades online como fóruns, oficinas, cursos, enquetes, entrevistas, notícias, serviços e oportunidades nos eixos de Participação, Direitos e Cidadania; Erradicação da Miséria; e Meio Ambiente, Clima e Vulnerabilidade. A Rede Mobilizadores alcançou 47 mil pessoas, de todas as UF e 1874 municípios.

Leia mais

III. Nosso histórico

Mudanças Climáticas: O Laboratório Betinho participou da criação do GT Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades, no âmbito do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas e contribuiu com subsídios importantes para a formulação do Plano Nacional de Adaptação do Ministério do Meio Ambiente.

Por meio do COEP, o Laboratório Betinho criou em 2009 o Grupo de Trabalho Mudanças Climáticas, Pobreza e Desigualdades (GT MC&Pobreza), no âmbito do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas.

Na prática, trouxe para o debate das mudanças climáticas, até então extremamente técnico, o impacto social da vulnerabilidade climática, principalmente em populações desassistidas. O GT, composto por representantes de diversas organizações da sociedade civil e de movimentos sociais, realizou pesquisas, estudos, seminários, capacitações para o Grupo, além de incidir politicamente em eventos internacionais.

Foram alcançados resultados importantes, como a relevante contribuição do GT ao Plano Nacional de Adaptação, lançado em 2015 pelo Plano Nacional de Adaptação.

Leia mais

Inclusão da Pessoa com Deficiência (PcD): Por meio do Programa COPPE Inclusão, o Laboratório Betinho contribuiu para maior acessibilidade de pessoas com deficiência.

O Programa COPPE Inclusão foi criado por meio de parceria entre o Laboratório Betinho, a Fundação COPPETEC e a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares, vinculada ao Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para maior inclusão de Pessoas com Deficiência (alunos, trabalhadores ou visitantes) o programa tem o objetivo incentivar a promoção do acesso livre, adequado e com qualidade às dependências da COPPE: prédios, laboratórios e salas de aula.

Leia mais